novo álbum: arranco


arranco/capa
baixe aqui > mp3 320 + encarte


Arranco surgiu no começo de setembro de 2009. André Severo, artista plástico e transmídia, já com quase meia dúzia de filmes obscuros e fora de circuito no currículo, me chamou pra uma botecagem -- que é como essas coisas sempre começam. Tinha conquistado uma residência da 7ª Bienal do Mercosul. "Estamos correndo o litoral sul do RS, de Tavares até o Chuí. Vamos filmando as pequenas cidades-(quase) fantasma do caminho e colhendo histórias pra um livro que integra o projeto." Depois de 387 cervejas, saí do bar incumbido de conceituar e criar a paisagem sonora para as imagens e intervenções do filme.

Logo depois recebi um curta-teste, que integrou a programação do Cine Esquema Novo /2009. "Quando eu comecei a edição das cenas, sem áudio local, estava ouvindo all your gardening needs. Sem perceber, comecei a editar no ritmo das faixas, compor e elaborar o filme com aquela sonoridade, e então as cenas e música ficar indissociáveis. Percebi que essa tinha de ser a trilha." (Achei sensacional, óbvio.) Ao assistir o dvd, encontrei uns três ou quatro longos planos-sequência, passando os vinte minutos, de câmera viajando pela orla, de costas pro mar, vendo dunas, casas abandonadas, animais em mau estado, uma que outra pessoa ao longe, areia, areia, areia. No fundo, tinham sido usadas três faixas do segundo ep, of insects and feet.


Landscape + Soundscape = ARTSCAPE FRITTATA.


Já tinha intenção de trabalhar com field recordings; ganhei a oportunidade. Mas ao invés de usar gravações in loco, fui pro caminho inverso -- me afastar totalmente dos sons "verdadeiros", originais, e buscar acentos dando a volta ao mundo, e dentro dele. Três semanas de pesquisa para selecionar fantasmagorias, praias distantes, cânticos, cabras, batata doce, muita humanidade: Japão, Burma, Finlândia, Croácia, Inglaterra, Espanha, Portugal, EUA, Argentina. E até drones extraídos do fluxo magnético da Terra. A intenção era de que a trilha sonora evocasse a outra trilha, geográfica, soluçando no espaço-tempo. Aparentemente funcionou, já que Arranco, o disco, foi abraçado calorosamente por Arranco, o filme.

Como nos outros capítulos do aygn, não consigo localizar exatamente o estilo, nem conheço outras produções nessa linha distinta. E isso, antes de bom ou ruim, certamente é revigorante -- nem que por expressão. Sem pirotecnia, confessadamente lo-fi e glitch, às vezes sujo, e com boa carga de melodias tolas, em Arranco procurei deixar as coisas ainda mais lentas e esparsas na maior parte do tempo. Aproveitar a carona dos quilômetros de areia eterna para esconder mais e mais barulhinhos. Como requer o ambient, que agrade como pano de fundo ou ouvindo com detalhe; somar baixas frequências para anular a dureza das paredes. Criar paisagens em não-lugares usando apenas um mp3 player de bolso. E no filme, uma tentativa de aprofundar, duplicar o longo olhar da câmera, essencialmente contemplativo.


OU assim se propôe; o aygn conta com os espaços e ecos do ouvinte, donde--


baixe aqui > mp3 320 + encarte
ou escute online aqui
ou escute online e baixe as faixas separadamente (128k) no last.fm


arranco


01 antiduna 3'33
02 ensaios não-destrutivos de toponímia 12'08
     field recordings: Pablo Sanz Almoguera (Barcelona/ES), Alexandre Nakamura (Fukui/JP)
03 B 9'42
     drones: Earth Music by Michael Rooke. field recordings: Aaron Ximm (Bagan/BM),
     Joaquin Gutierrez Hadid (Purmamarca/AR), Ollie Hall (Tokyo/JP)

04 brotas de macaúbas 12'12
     field recordings: Luis Antero [Alvoço das Várzeas/Sabugueiro, PT]
05 arranco [areal noturno] 7'42
06 pechblenda [rádio] 4'34
     field recordings: Keith de Mendonça (Suffolk/GB), Ryo Takasaki (Ogulin/HR),
     Phil Thomson (California/US)

07 selenocartografia [8-bit] 5'10
08 uadi 11'41
     field recordings: Eisuke Yanagisawa (Sagaing/BM), John Tenny (California/US),
     Lynn Pook (ES), Fernando Boto (Buenos Aires/AR)

09 theia 8'41

produzindo entre setembro e dezembro de 2009.
tiago casagrande: computador, guitarra.
stills, tipografia de capa e contracapa: André Severo/Nau Produtora
field recordings utilizados sob licença creative commons.
"Earth Music" gentilmente cedido por Michael Rooke.
samples adicionais utilizados em domínio público.

download gratuito. licenciado em creative commons 3.0.

dedicado à memória de José e Anita Severo, que deixaram nos muitos netos portoalegrenses, entre eles eu e o André, um gosto de pampa e campanha e de terra que se revelam, muitas vezes, numa nostalgia de algo que não se viveu.

baixe aqui > mp3 320 + encarte
ou escute online aqui
ou escute online e baixe as faixas separadamente (128k) no last.fm




  • A Y G N



  • bad vapors, broken instruments, sonic mirrors, wrong data, those dreams where you're allowed to intervene a little, lunar boots


  • ambient/electronica/lo-fi






























Creative Commons License


v e r b e a t