narizes e bocas

| 13 comentários

...ensaiei uma postagem atenuando o tom de zanga do comentário "sentido" - me senti meio injusto com meus leitores.
Depois pensei - não são "meus" leitores, são pessoas livres e donas de seus narizes e bocas, ué.
De resto, fiquei surpreso com o número de comentários que pintaram.
Gostei de lê-los.
Graças a todos!

13 comentários

"Pouco me importa.
Pouco me importa o quê? Não sei: pouco me importa"

Vou no lema do Caeiro aí em cima. O quadrinho é nosso. rs.

entra no meu blog!

abraços

Não sou seu leitor, mas vc é meu desenhista.

Laerte no meu coração e mente, desde há mais de 25 anos.

A gente anda sofrendo do mal da objetividade.
Vamos largar a papelada do escritório.
Rasgar os papéis das nossas teses de mestrado.
Parar de assistir stand-up commedy toda sexta-feira.
Tá na hora de dormir.
Melhor assim.

mermão, tu manda é muito, suas tiras, muito além que 'desenhos' são meus sorrisos matinais. todos os dias uma certeza eu tenho: de que me encantarei com suas tiras. nunca me decepciono. com o resto é fácil me decepcionar, mas com laerte é difícil
flw

Tem três sambas que eu acho que ilustram bem a situação. Basta trocar samba por Laerte...

"Quem não gosta de samba, bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé"

"Vem que passa teu sofrer, se todo mundo sambasse seria tão fácil viver"

"quem não gosta de samba, não gopsta de nada"

Laerte presidente do Brasil!

E uma pergunta solta: qual a onda de sair abrindo blogs diferentes e esperar o boca a boca para eles crescerem?

Abço, parabéns, e valeu!

e o sentido pode vir em camadas, então cada um fica zangado com o que o nariz mandar, né verdade? vá disparando os desabafos eventuais que a torcida agradece.

Cresci lendo e ouvindo que quadrinhos precisavam ser engraçados, através de anúncios idiotas do tipo "você vai rolar de rir com essas tirinhas". Comprava muito gibi da Disney e procurava direto pelas histórias do Barks - sem no entanto saber quem era esse ilustre senhor - justamente por NÃO me fazerem rir. Adorava aquele existencialismo dos patos, as causas perdidas, o eterno recomeço, as situações implausíveis em que os personagens eram colocados, as lições de moral (ou sua ausência) às avessas... isso sim me divertia. Atualmente, encontro tudo isso e muito mais na obra do Laerte. E esse blog aqui é um tesouro pirata (do Tietê) na web. Grande abraço e muita força!

Ah, e tô com saudades da Virginia Helena... êta gostosa!

Gosto dos desenhos, dos temas... É por isso que volto aqui diariamente.

O Laerte é o ser mais parecido com um mestre zen eu já passei perto. O melhor sentido das tirinhas é pra frente. Mas também pode ser pra dentro, ou pra trás: o passado de cada um é imenso.
Tõ adorando essa onda dos blogs
Abs : )

Não sei se realmente peguei o que o Laerte estava falando, mas acho que fez "sentido"(haha, não achei outra palavra para colocar aqui), como as tiras também sempre fizeram sentido para mim... A história não tem que ter um "sentido", ela tem que ir para frente, tem que crescer, como o Laerte disse, sendo que sempre mantendo sua lógica interna. O barato das tirinhas é que essa lógica interna pode ser bem ampla ou bem restrita, isso depende de onde o autor quer colocar suas barreiras, ele pode escrever uma história absurda, nonsense(sem "sentido"?) e se ela respeitar uma lógica interna, ela fará sentido de alguma forma. O que vejo na maioria das pessoas é ou preguiça de pensar ou incapacidade de abstração da realidade para entrar no mundo da mitologia criada pelo autor, no caso o Laerte. Histórias e personagens tem suas premissas: o Superhomem não voa? Isso faz sentido?
Bom depois disso tudo, o que resta a dizer: Laerte você é foda, e suas tirinhas mais fodas são as "sem sentido"(ou não?! Gosto muito das outras também...)

Laerte, acho que falo por todos quando digo; obrigado por disponibilizar teu trabalho pela internet.
abs

Pensei que você ia responder a pergunta sobre 'sentido' postando a tirinha do "Muketa"...

Comente


Type the characters you see in the picture above.