porque eu parei

Por que eu parei de desenhar personagens?
E por que mudei de registro na forma de fazer as tiras?
Porque senti que se cumpriu um ciclo.
Senti que, continuando no mesmo caminho - um caminho muito prazeiroso, seja dito - eu estaria deixando de abrir essa outra porta que se apresentava.
Essa nova maneira de trabalhar não é muito clara (até hoje não o é), e a busca de sua veia principal me levou a pesquisar caminhos abandonados há muitos anos, do tempo em que eu não tinha feito ainda do desenho e das histórias uma profissão.

(a atualizar)

28 comentários

Falando em personagens parados você pode me responder sobre Locas,o leitor?
Ele teve outras publicaçòes além daquelas páginas do StripTiras#8?
Abs,
Zerramos

Eu quis dizer Lucas e nào Locas.DEsculpaí!
Abs,
zerramos

Eu acho que o que você tem feito renova o próprio espaço da tirinha em jornal. É bom saber que se trata de uma experiência, sem método claro... espero que você continue neste processo, sem a necessidade de chegar a algum lugar. É muito legal, como leitor, me surpreender com os rumos que seu trabalho toma, a cada dia, e pensar no rumos que pode tomar, considerando as possibilidades e o inusitado do que você tem feito recentemente!
Muito foda!


OK, mas você não parou de todo de desenhar os personagens. O Hugo ainda está lá na Folha Informática, mesmo que cheio de viadagem!

Sinceramente é bom ler isso. É bom ter saudades de alguns personagens (condôminio, piratas, homem catraca...) mas se fosse continuar com eles, como a gente ia sentir saudades.

Sinceramente nem internacionalmente eu consigo encontrar alguém parecido com o estilo do Laerte, e isso é uma delícia para tirar sarro de agentinos, norte americanos, membros do talibã entre outros.

A meu ver, hoje o que você faz é poesia. No bom sentido. Admiro muito, cara. Já admirava. Mas hoje admiro ainda a coragem que teve em sair de uma fórmula de sucesso. A maioria quando encontra uma fórmula, vai com ela até o fim.

Deixa o homi trabalhar!

Ae Laerte! O mundo está repleto de um número linitado de personagens, entretanto as situações são infinitas!
Seu trabalho me inspira!
Trabalho com situaçoes tbm. Nunca tive um personagem central. As situação faz o cartunista e o ladrão!

Abração!

Opa! quis dizer ''limitado'' ....como meu português! hahahahahha


Abração!

parabéns. te acho um gênio.

Laerte, pelo tanto que já nos entreteu, há tanto tempo, e pelo mérito que possui, não deve á nós, leitores, explicação alguma.

Continue com suas criações, da forma que achares melhor. Que bom que não és preso á uma idéia e que que não tem medo de se renovar, modificando seu estilo da maneira que acha que deve.

Congratulações pelo excelente trabalho!

Pô... escrevi mó dedicatória legal... cadê?

Não vou negar, sinto saudades de muitos dos seus personagens. Mas o que voce está fazendo agora, atirando para todo o lado, está sendo (em MINHA opinião) sua fase mais criativa. Não ter limites está lhe fazendo muito bem - seja no traço, no roteiro ou no espírito.

Vá em frente!

Ok ok.

Não sinto saudade de ninguém não, que ardam na fogueira do tempo!

Abraço!

Por mais que me pareça interessante pensar se o Overman passou por um Crise nas Infinitas Tretas, ou se o Zelador mudou de vida -- esse era o melhor, nem se discute --, e esses personagens acompanharam toda minha formação, eu me basto com o trabalho atual do Laerte. E, se não desenha personagens, o que é Muchacha? Tá, é um conto fechado, certamente, mas, isso, com as "iluminações" -- que merece um prêmio e um artigo acadêmico, tenho dito -- e "drágeas" que o Laertòn oferece me dão a consciência que, depois de todos esses anos, ainda é o Laerte que eu tô lendo. Não vejo mal nenhum, na atual produção. Muito pelo contrário. Depois de tanto lê-lo, e ler muito mais, acho muito natural. Seria estranho, se diferente.

Desde que me entendo por gente venho acompanhando as tiras dos jornais daqui do Rio. Grande parte são estrangeiras, piadas enlatadas que por repetição acabamos gostando do seu estilo.
Mas nunca vi tiras tão autenticamente brasileiras que as do Laerte.
Não pelo fato dele sempre falar de São Paulo, mas porque com a muita sensibilidade consegue sintetizar essa maçaroca de culturas e fazer uma tira que no final é um reflexo da nossa sociedade, pelos olhos de um grande desenhista.

Não condeno essa sua nova forma de se expressar, acho que o trabalho do artista tem que acompanhar mais seu espírito que o de seus leitores. Pessoalmente prefiro essa nova fase. Não temos a mínima idéia do que vai surgir a cada tira e quando achamos q ele chegou no “limite” da sua criatividade, ele vem com uma idéia nova ou inovando uma antiga de tal forma que parece que está sendo mostrada pela 1° vez.

Em suma espero que o Laerte viva muito pra podermos ver outra fase de idéias tão boa quanto essa.

Amém

By pabluns.

Sinto saudades da Suriá.
Minha filha tb sente.
Hoje ela tem 9 anos e antes de aprender a ler já curtia as tiras que eu lia p/ela.
[]s

Quando eu perguntei lá em cima sobre o personagem Léo,o leitor foi só por curiosidade.Nada a ver com a minha impressão da atual fase do laerte que concordo e muito com quase todos os comentários favoráveis aqui,e inclusive já disse antes da admiraçào minha pela coragem do cara.
Bem,achei que devia postar isso aí...
Abs,
Zerramos

cara sempre gostei do seu trampo, hoje acho meio viagem as tiras mas eu viajo junto com elas, e é isso ae cara

Poxa cadê meu comentario???
Pior q mandei 2 vezes..
:(

Apareceu!!!
:D

Laerte, vai fundo.

Muito bom ver um cartunista brasileiro mostrando que o que faz é arte, como fez Bill Watterson quando parou de desenhar o Calvin... E mais! Pense no que esse blog pode ser sem essa obrigação do formato da tirinha! Saudade das suas histórias longas...

Laerte, acho que todo mundo no planeta já deu uma opinião sobre a sua mudança de estilo, mas só pra constar: no começo assustou um pouco, mas essa nova fase é genial por si só. Faz o que o coração mandar, parece que isso tem funcionado bem. Obrigado por esses anos todos de produção maravilhosa!

cara,
é esse o motivo que leva voce a ser meu maior herói do quadrinho nacional, não é só que eu gosto das suas historias, eu admiro muito o fato de que depois de tanto trabalho feito e elogio recebido aquela duvida ainda nao foi embora e voce abre o peito pra discutir sua vida com as pessoas que o leem.
sériamente sigo seus passos sempre que posso.
grande mestre.
abraço!

opa opa, me junto ao Bellini em favor de histórias em formatos diferentes da tirinha. Nem que seja de vez em quando...

Laerte, vc é um gênio que anima minhas cagadas matinais.
Às vezes não entendo, confesso, mas é preguiça de ler os longos.

Uma dúvida: Pq a tira ainda chama "Piratas"?

Inventa um nome, pô. Rótulo!

Abraços!

Cabral

Comente


Type the characters you see in the picture above.