orlando 00

| 7 comentários

Tenho muitas críticas e broncas em relação à publicidade, mas já bebi desta fonte, claro.
Esta - "Orlando, o Vestibulando" - foi a melhor experiência.

Em 90 e tantos (não lembro exatamente quando) me convidaram (não lembro exatamente quem) pra fazer uma série de tiras a serem publicadas no jornal Zero Hora, de Porto Alegre. Anúncio de celular, que era relativa novidade na época, e mirando em estudantes em fase de vestibular.

Foram 30 e poucas tiras, publicadas no suplemento específico.

Eu tinha liberdade quase total - os únicos requisitos, se não me engano, eram o nome do personagem e da série: "Orlando, o Vestibulando"; e a necessidade de que o tema "telefone", "celular", entrasse de vez em quando. Não precisava mencionar a marca, que, aliás, eu não lembro qual era.

Fora isso, o traço, os personagens secundários, as situações, as piadas, era tudo por minha conta.

Não lembro quanto recebi - mas sim que foi tudo pago com correção e pontualidade.
Gostei bastante de ter feito essa série.

O problema é que perdi os arquivos da tira, com cores.
Procurei referências do trabalho no google e nada.
Achei um "Orlando, o Vestibulando" que não tem nada a ver com o que fiz.
E a memória, como já dei a entender, não ajuda muito.

Daí que vou postar aqui a série toda, reescaneda e tratada em preto e branco, mesmo.
Tudo bem?

Esta é a história piloto, de página inteira.
Os outros episódios são em forma de tira.
Como era uma tira bastante comprida (ocupava o rodapé de duas páginas no jornal), vou postando como eu as desenhei - em duas linhas de narração.


orlando00B.jpg

7 comentários

Cara, descobri teu blog ha pouco tempo e achei muito massa, porque tinha muito tempo que não via (e revia) trabalho tão bom, desde as clássicas até a fase "cabecismo" :)

sou de porto e quando eu estudava no cursinho la em 2000 pro meu vestibulr lia toda a seman as aventuras do Orlando. página do meio do caderno de Vestibular da ZH, dae o cara lia aquela patada de fórmula de química desgraçada, se desesperando com a prova que não chegava, dae acabava e no rodapé se rachava de rir com um maluco com os mesmos problemas que o cara.

lembro de várias (ok, SPOILER como diz essa galera que frequenta blog ...) e uma que o Orlando se entupia de guaraná pra ligar e depois maracujá pra acalmar e terminava perdendo o simulado e vomitando, heheheh, eu ria muito dessa porque ja tinha feito a mesma coisa e até hoje nos trampos da vida lembro dela.

cara, muito bom teu blog (e teu trabalho épico como um todo), uma daquelas coisas bem legais que compensam o mundaréu de lixo da internet. sou mais um dos que seguem!

Abração.

como chorou meu pai quando falei que faria publicidade...

Quando larguei a faculdade de direito o meu pai disse que foi como se "uma coisa tivesse morrido dentro dele...". Chupa essa manga.

Tudo bem? Tudo ótimo! Eu tenho uma vaga lembrança disso aqui na ZH... Aliás, bem que a ZH poderia voltar a ter a tua tirinha diária.

Bem livre mesmo !
Minhas experiencias com publicidade me fizeram ver a imagem do cliente pedindo pra trocar os balões de pensamento com flashbacks de conversas via celular =P

Não teve Santo Recalcitrante ontem...

Acho que o são Latércio se acalmou um pouco depois que o alexandre meio que deu uma "descanonizada" nele...

Que chique, o mesmo esquema da Mafalda.

Comente


Type the characters you see in the picture above.